Uma visão psicanalítica da timidez excessiva

Há pessoas cujo superego é mais brando e razoável, mas há outras nas quais ele assume uma conotação praticamente persecutória. As pessoas excessivamente tímidas estão justamente nessa segunda categoria. Em minha prática clínica, nunca encontrei um sujeito com essa problemática que não apresentasse um superego extremamente feroz e coercitivo. O paciente não consegue viver de forma espontânea e natural, pois seu superego está o tempo todo censurando-o, criticando-o, fazendo com que se sinta sempre aquém do que supostamente deveria ser. Por isso, quando se expõe a uma situação social, tal pessoa já se apresenta com a sensação de ser inferior e inadequado. O que ela teme, na verdade, não é que os outros a julguem e a critiquem, mas que as pessoas “comprovem” o vexame, o fracasso, a porcaria que ela é de acordo com a avaliação do seu superego.

Leia o texto completo em: https://bit.ly/drdtimidez

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s