O que está por trás dos nossos sonhos?

Sempre que abro a caixinha de perguntas no Instagram, aparecem várias questões sobre os significados dos sonhos e como interpretá-los. De fato, muitas pessoas suspeitam que haja uma lógica, um sentido, um conteúdo mais profundo por trás da sucessão aparentemente aleatória das imagens oníricas.

Em 1900, Sigmund Freud publicou “A Interpretação dos Sonhos”, considerada por muitos como sua principal obra e que registra justamente sua descoberta de que os sonhos são, sim, dotados de significação e podem ser satisfatoriamente interpretados desde que se saiba de antemão que tipo de elementos estão em seus bastidores.

O sonho, tal como nos lembramos dele, é o resultado final de um processo de DEFORMAÇÃO e EDIÇÃO. É por isso que ele se apresenta de modo fragmentário e frequentemente com figuras e situações improváveis ou irracionais. Portanto, o sonho de que nos recordamos é uma versão distorcida e esfacelada de OUTRA COISA.

Que outra coisa? Trata-se do que Freud chamou de “pensamentos latentes”. São receios, medos, desejos, fantasias etc. que passaram pela nossa cabeça no dia anterior ao sonho, mas foram suprimidos. Sabe quando, por exemplo, você fica com raiva de uma pessoa, deseja fazer algo ruim contra ela, mas, imediatamente após pensar nisso, você se censura por não achar legal ter esse tipo de intenção? Então… São pensamentos como esse que, por serem condenados por nossa consciência, se tornam latentes, ou seja, ficam “na reserva” da mente, esperando para “entrarem em campo”, o que acontece, de modo disfarçado, nos sonhos.

Nesse momento, você pode estar se perguntando: “Mas por que esses pensamentos latentes precisam se disfarçar? Por que a gente não pode sonhar com eles do jeito que são?”. Simples: porque se nós suprimimos esses pensamentos durante o dia é justamente por serem desagradáveis e mancharem a imagem que queremos ter de nós mesmos.

Se nós pudéssemos sonhar com eles tal como apareceram originalmente, ficaríamos tão incomodados e angustiados que acabaríamos acordando. O sonho, ao expressar esses pensamentos de modo deformado e editado, permite que eles sejam “descarregados” sem atrapalharem o nosso precioso sono.


Participe da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s