Lucas Nápoli publica seu primeiro artigo científico

É com imenso prazer que comunico a vocês, leitores, a notícia de que meu primeiro artigo científico foi publicado. Trata-se do texto “Sexualidade e câncer de mama: relatos de oito mulheres afetadas” e foi publicado pela Revista Psicologia Hospitalar da Universidade de São Paulo (USP).

Com o auxílio dos outros autores, escrevi o artigo quando ainda estava na graduação em Psicologia no âmbito da minha iniciação científica. O texto constitui a apresentação de alguns resultados da pesquisa “Paciente e enfermeiro: atores no processo de enfrentamento do câncer“, realizada entre os anos de 2007 e 2009. Nosso interesse no artigo foi o de analisar o impacto do câncer de mama na vida emocional e sexual de mulheres afetadas pela doença.

Quem quiser ler o artigo na íntegra, pode acessá-lo na base de dados Pepsic neste link ou baixar diretamente o pdf do trabalho aqui.

I Estudos Clínicos: “Corpo ou (e) mente(s) doente(s)?”

Caríssimos,

Convido a todos para participarem do primeiro encontro da série “ESTUDOS CLÍNICOS”, um projeto inovador elaborado pelos psicólogos Lucas Nápoli e Bruna Rocha de Almeida, cujo principal objetivo é proporcionar o acesso dos estudantes e profissionais dos cursos de Ciências Humanas, especialmente de Psicologia, a temáticas não exploradas ou tratadas de maneira não tão aprofundada na graduação.

Logo no primeiro encontro, trataremos de um assunto extremamente relevante para a atuação clínica não só do psicólogo, mas de todos os profissionais de saúde e que, todavia, ainda não recebe a devida consideração nos cursos de Psicologia: trata-se das relações entre corpo, mente e doença. Justamente por se tratar de relações multifacetadas e que demandam diferentes possibilidades de posicionamentos teóricos e clínicos, escolhemos como título para o encontro: “Corpo ou (e) mente(s) doente(s)?”.

Nesse primeiro encontro teremos dois minicursos de 3 horas de duração cada:

No primeiro, “Quando a alma ganha corpo: introdução à Psicossomática” o psicólogo, psicanalista e mestrando em Saúde Coletiva (UFRJ) Lucas Nápoli trará uma apresentação do campo ainda enigmático que abrange doenças orgânicas em que o componente psíquico e emocional se mostra diretamente associado. O que dizem os teóricos acerca do fenômeno psicossomático? Quem são os principais autores desse campo de estudo? A doença pode ser vista como uma maneira de falar com o corpo? Como é o tratamento de doenças psicossomáticas? Essas e várias outras questões estarão em pauta neste minicurso.

No segundo, “Doenças graves na infância: a constituição psíquica daquele que contraria o ideal dos pais”, a psicóloga e pós-graduanda em Docência do Ensino Superior (PUC-MG) Bruna Rocha de Almeida aborda, a partir de sua experiência clínica, o outro pólo da relação entre corpo e mente: o impacto do somático sobre o psíquico. Quais são as conseqüências de uma doença congênita grave no psiquismo de uma criança? E no comportamento dos pais? O que faz o terapeuta ao receber um caso dessa natureza? Todas essas indagações serão trabalhadas a partir de um intrigante caso clínico.

Durante os minicursos haverá espaço para perguntas e discussões visando o enriquecimento das temáticas abordadas.

Horários, local, valor do investimento e informações para fazer sua inscrição encontram-se no banner abaixo.

Conto com sua presença!

P. S.: Em função de algumas contingências, nessa semana não haverá texto novo aqui no blog. Nossa rotina costumeira continua na semana que vem. 😉


A primeira vez a gente nunca esquece…

Para quem chegou aqui pensando que encontraria um discurso sobre a primeira experiência consumada de uma relação sexual, enganou-se. Não totalmente. Pois trata-se, de fato, de uma primeira vez. E ainda que o que está em questão possa ser reduzido em última instância à relação sexual, trata-se dessa em sua versão sublimada. De todo modo, o prazer em ambos os casos – na forma factual e na sublimada – é semelhante.

Sem mais delongas: a razão deste post é a de informá-los de meu contentamento por ter recebido a notícia de que, pela primeira vez, um artigo de nossa lavra será publicado numa revista científica. Utilizei a terceira pessoa do plural não por estilo, mas porque efetivamente o artigo foi um produto de mais de duas mãos: as minhas e as de mais quatro autores (Grazielle Lage Lacerda, Thaíse Rodrigues dos Santos, Carlos Alberto Dias e Walter William Barreto).

O título do artigo é “Sexualidade e câncer de mama: relatos de oito mulheres afetadas” e será publicado em breve na Revista Psicologia Hospitalar, uma das mais conceituadas publicações da área de Psicologia da Saúde, e que é produzida pelo Centro de Estudos em Psicologia da Saúde ligado à USP. O texto é fruto da pesquisa “Paciente e Enfermeiro: atores no processo de enfrentamento do câncer” na qual trabalhei como bolsista de iniciação científica entre os anos de 2007 e 2008.

Portanto, aguardem, pois brevemente o artigo estará disponível na internet já que a Revista Psicologia Hospitalar é indexada pela PEPSIC.