[Vídeo] Você fica o tempo todo revisando suas decisões?

O medo excessivo de cometer erros leva algumas pessoas a ficarem o tempo todo se perguntando: “Será que agi corretamente?”. Assista ao vídeo e entenda a gênese desse problema.


Participe, por apenas R$39,99 por mês, da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”

[Vídeo] Pessoas viciadas em se preocupar: entenda

Neste vídeo: entenda por que algumas pessoas sofrem e desperdiçam sua preciosa energia psíquica tentando se antecipar a possíveis problemas futuros ao invés de focarem no presente.


Participe, por apenas R$39,99 por mês, da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”

Sofrer por antecipação é uma forma de sofrer menos

Há pessoas que parecem ser viciadas em se preocupar.

Diante da possibilidade, ainda que remota, de ocorrência de qualquer problema futuro, tais indivíduos imediatamente se põem a pensar sobre ele, como se estivessem sob risco iminente.

Ao invés de se concentrarem nos desafios do presente, essas pessoas desperdiçam boa parte de sua energia psíquica se PRÉ-OCUPANDO com adversidades que talvez nem aconteçam de fato.

O sofrimento vivenciado por quem está preso a esse doloroso padrão é aumentado pela incompreensão daqueles que estão à sua volta:

— Por que você não para de se preocupar tanto, fulano? Foque no presente. Pare de ser tão ansioso.

Você, caro leitor viciado em preocupação, já deve ter ouvido coisa semelhante, não é verdade?

Pois é!

Infelizmente, muita gente imagina que uma pessoa que se preocupa em excesso faz isso porque ainda não entendeu que não vale a pena gastar energia tendo medo do futuro.

Não, caras-pálidas!

É óbvio que um indivíduo superpreocupado sabe que deveria se concentrar no presente. O problema é que ele simplesmente não consegue fazer isso.

E por que não consegue?

Geralmente, o excesso de preocupação é uma defesa psíquica automática que o sujeito utiliza para se proteger de uma experiência que ele imagina ser insuportável: a experiência de passar por um problema sem estar preparado para lidar com ele.

Não raro, pessoas viciadas em se preocupar passaram em alguma fase da vida por momentos de muita angústia provocados por acontecimentos completamente inesperados, como perdas repentinas de entes queridos, acidentes, brigas violentas e súbitas entre os pais etc.

Para não correr o risco de vivenciar novos sustos como esses, o indivíduo passa a tentar prever o futuro a fim de estar suficientemente preparado para enfrentá-lo.

No fundo, preocupar-se em excesso é isso: uma tentativa compulsiva de adivinhar o que vai acontecer para não ser pego de surpresa.

Embora o vício em preocupação seja fonte de muito sofrimento, esse mal-estar, por pior que seja, ainda é visto pelo sujeito como menor em comparação com o pesadelo que seria passar por uma nova experiência traumática, como as que ele vivenciou outrora.


Participe, por apenas R$39,99 por mês, da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”

Por que não adianta tentar convencer uma pessoa ansiosa a parar de se preocupar

Vocês já tentaram convencer uma pessoa que está ansiosa a parar de se preocupar alegando que há pouca probabilidade de acontecer o que ela tanto teme?

Deixa eu dar um exemplo para ficar mais claro:

Imagine que sua amiga está extremamente tensa porque no dia seguinte haverá uma prova e ela tem muito medo de tirar nota baixa.

Aí você chega para ela e diz assim: “Fulana, pare de se preocupar tanto. Você estudou bastante para essa avaliação e a professora não costuma fazer provas muito difíceis. Não tem motivo para tanta ansiedade.”.

Você acha que após ouvir isso, sua amiga ficará tranquila, em paz e deixará de se preocupar com a prova?

A experiência mostra que muito provavelmente NÃO.

A explicação é simples: a amiga já sabia de tudo o que você falou para ela. É óbvio que ela tem consciência de que estudou e conhece o perfil pouco exigente da professora.

Então, por que será que, mesmo sabendo disso, ela se mantinha tensa e preocupada?

Ora, por que a ansiedade dessa amiga tem muito pouco a ver com a realidade externa.

É isso o que os meus colegas da Terapia Cognitivo-comportamental (TCC) não reconhecem.

Eles acham que a ansiedade excessiva pode ser tratada meramente desfazendo as distorções na percepção do sujeito sobre a realidade externa e as crenças igualmente distorcidas que as sustentam.

Eu concordo que essas distorções existem e os colegas da TCC fazem um trabalho bastante louvável de catalogação de todas elas.

O problema é que eles não reconhecem que essas interpretações equivocadas da realidade que estão presentes na ansiedade excessiva têm sua origem em QUESTÕES INCONSCIENTES.

É por isso que não adianta tentar convencer a pessoa de que ela está percebendo a realidade de forma distorcida.

No fundo, ela já sabe disso.

Então, por que a ansiedade se mantém?

Porque o verdadeiro perigo que a nossa amiga referida acima de fato teme não é a prova no dia seguinte. É ALGUMA OUTRA COISA que está no seu Inconsciente.

Pode ser, por exemplo, que a professora tenha o mesmo nome de sua mãe e ela tem uma série de questões infantis mal resolvidas com a genitora, as quais recentemente foram despertadas.

Vai saber…


Participe, por apenas R$39,99 por mês, da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”