[Vídeo] Bacharel em Psicanálise? Como assim?

Num bate-papo delicioso com o psicanalista Marco Leite, falamos sobre a polêmica iniciativa de uma faculdade particular de ofertar uma “graduação em Psicanálise”.

Apesar de o nosso foco ser a questão da formação do analista, falamos sobre vários outros assuntos que dizem respeito à prática psicanalítica.


Participe, por apenas R$39,99 por mês, da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”

Qual é o grande problema da tal “graduação em Psicanálise”?

Vamos lá.

Vamos responder a essa pergunta sem complexificações desnecessárias, sem puxar a sardinha para nenhuma das várias orientações teóricas presentes no campo psicanalítico e sem acusar hipocritamente a instituição de ensino em questão por supostamente estar almejando o lucro (como se os psicanalistas fossem santos abnegados que trabalham exclusivamente por seu amor ao ofício).

O grande problema da proposta de graduação em Psicanálise feita recentemente aqui no Brasil por uma faculdade particular é que ela apresenta EXPRESSAMENTE a promessa de que, com base apenas nos 4 anos de uma formação 100% teórica, a pessoa já poderia atuar como psicanalista.

Esse é o grande problema.

Por quê, Lucas?

Porque o estudo teórico é importante, mas o elemento MAIS IMPORTANTE na formação de um psicanalista é a passagem pela EXPERIÊNCIA ANALÍTICA, ou seja, por uma análise pessoal.

A primeira coisa que alguém que deseja praticar a Psicanálise deveria fazer é procurar uma pessoa que já é psicanalista e submeter-se a uma análise pessoal.

É deitado no divã por anos e anos que o sujeito aprende o que de fato é fazer Psicanálise.

Vai por mim: eu sou um nerd de Psicanálise: estudo avidamente os conceitos desde o segundo período da graduação em Psicologia, tenho uma escola de Teoria Psicanalítica (a Confraria Analítica), mas só aprendi o que é a Psicanálise NA PRÁTICA tratando da minha neurose no divã de outros analistas.

Além disso, é só por meio de sua análise pessoal que o cara vai conseguir atingir as condições psíquicas necessárias para poder ocupar mais ou menos adequadamente a posição de psicanalista no tratamento de outras pessoas.

Hoje, às 19h, no Instagram, pretendo falar sobre isso e mais uma série de coisas numa live IMPERDÍVEL com meu caríssimo colega Marco Leite.

Até lá!


Participe, por apenas R$39,99 por mês, da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”

O que devo fazer para me tornar psicanalista?

1 PRECISO TER FORMAÇÃO SUPERIOR PARA SER PSICANALISTA? Não. A Psicanálise não é uma profissão regulamentada pelo Estado brasileiro. No limite, qualquer pessoa, independentemente do seu grau de escolaridade, pode se autonomear psicanalista e atender pessoas dizendo praticar a Psicanálise.

2 ENTÃO, QUEM GARANTE QUE UMA PESSOA É VERDADEIRAMENTE UM PSICANALISTA? Ninguém. Não existe uma entidade universalmente reconhecida por todos os psicanalistas que esteja autorizada a oferecer um “diploma” ou “certificado” de psicanalista. Existem diversas instituições que fornecem uma formação em Psicanálise mais ou menos organizada, mas nenhuma delas funciona como um tribunal supremo que define quem é e quem não é psicanalista.

3 NÃO SERIA MELHOR TER UM CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICANÁLISE RECONHECIDO PELO MEC SEMELHANTE AO QUE ACONTECE COM A PSICOLOGIA? Não. Isso faria o exercício da Psicanálise se tornar dependente de uma formação protocolar baseada em parâmetros de ordem estatal que poderiam ser estranhos e até avessos ao campo psicanalítico.

4 OK, ENTENDI, MAS E SE EU QUISER ME TORNAR PSICANALISTA. O QUE DEVO FAZER? Três coisas: a primeira e mais importante é submeter-se a uma análise e levá-la até o fim (o que pode levar muitos anos); a segunda é estudar sistematicamente a teoria psicanalítica, começando pelas obras dos grandes autores, a saber: Freud, Ferenczi, Klein, Winnicott e Lacan. Saiba que esse estudo não acaba nunca. Você precisaria de, no mínimo, umas 3 vidas para conseguir abarcar toda a literatura analítica. A terceira coisa é submeter-se a uma supervisão por parte de um analista mais experiente, sobretudo nos primeiros anos de prática clínica. Você pode fazer essas 3 coisas independentemente ou no interior de uma instituição.

5 E QUANDO PODEREI COMEÇAR A ATENDER PESSOAS? Não, não chegará uma carteirinha te dando habilitação para clinicar, ok? Quem decidirá isso é você mesmo. Já ouviu falar numa coisa chamada ética? Pois é. Trata-se de uma decisão ética. É você quem deve avaliar o momento em que considera estar preparado para escutar outras pessoas. Seja responsável.