Os dois componentes da autoestima

Autoestima é basicamente a opinião que você tem a respeito de si mesmo.

Essa opinião tem um componente VARIÁVEL e um componente RELATIVAMENTE ESTÁVEL.

O componente variável diz respeito às flutuações da autoestima em função daquilo que objetivamente fazemos e dos feedbacks que recebemos.

Nesse sentido, é bastante provável que sua autoestima fique alta se você for aprovado no concurso que tanto deseja ou fique baixa se seu desempenho for insuficiente para o alcance desse objetivo.

Da mesma forma, variações de sua autoestima podem acontecer quando você é elogiado ou depreciado por alguém cuja opinião lhe é valiosa.

Como você percebe, essa dimensão VARIÁVEL da autoestima depende muito de coisas externas ao Eu: desempenhos, resultados, conquistas, elogios etc.

Já o componente RELATIVAMENTE ESTÁVEL não é afetado por aquilo que está acontecendo conosco no presente.

Como o próprio nome já insinua, trata-se de um aspecto da nossa opinião sobre nós mesmos que quase não varia.

Isso significa que uma pessoa cuja autoestima é baixa nessa dimensão tenderá quase sempre a se avaliar de maneira depreciativa e desfavorável, mesmo recebendo frequentemente elogios e reconhecimentos.

Ao ser aprovada, por exemplo, num concurso, ela se sentirá bem, olhará com bons olhos para si mesma, mas, como tais reações estão situadas apenas no componente variável da autoestima, logo logo esse sujeito voltará a se ver de modo pejorativo.

Por outro lado, uma pessoa, por exemplo, cuja autoestima seja elevada na dimensão relativamente estável não demorará para voltar a se olhar positivamente após receber um feedback depreciativo.

Enquanto o componente VARIÁVEL é dependente das situações que vivenciamos no PRESENTE, o fator ESTÁVEL se constitui em face do que aconteceu conosco no PASSADO.

É com base nas vicissitudes das relações infantis com nossos pais que forjamos a avaliação básica que fazemos de nós mesmos.

Nesse sentido, crianças que foram consistentemente afirmadas, reconhecidas e valorizadas por seus pais tendem a formar uma opinião bastante favorável sobre si mesmas, que sobrevive às eventuais feridas narcísicas que venham a sofrer quando adultas.

Você gostaria que eu voltasse a falar sobre esse assunto em outro momento?


Participe, por apenas R$39,99 por mês, da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda.

➤ Adquira o meu ebook “Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática”

➤ Adquira o meu ebook “O que um psicanalista faz?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s