[Palestra completa] Caia no Real: a arte de viver sem expectativas

[Vídeo] Transferência: o inconsciente ao vivo e a cores

[Vídeo] Qual é o grande objetivo do tratamento psicanalítico?

[Vídeo] A importância da retificação subjetiva na clínica psicanalítica

[Vídeo] Entenda a primeira tópica do aparelho psíquico de Freud

[Vídeo] Psicanálise: questionando o óbvio há mais de 100 anos

[Vídeo] Winnicott: noções introdutórias

[Vídeo] Entenda a diferença entre neurose, psicose e perversão

[Vídeo] Freud defendia um “libera geral”?

[Vídeo] Engordar e emagrecer: considerações psicanalíticas

[Vídeo] A lição de Ferenczi

[Vídeo] 3 dicas para lidar com a ansiedade

Neste vídeo faço algumas considerações gerais sobre a ansiedade e apresento 3 orientações essenciais para quem está buscando lidar melhor com esse incômodo e desgastante afeto.

[Vídeo] Recado Rápido #14 – Verdades e narrativas

Não raro as pessoas procuram um analista acreditando que, ao longo do tratamento, encontrar-se-ão com a verdade definitiva sobre si mesmas. Se, no início, a psicanálise de fato foi pensada como um método através do qual o sujeito poderia ir ao encontro das memórias relativas aos acontecimentos que determinaram sua história, atualmente não se trata mais disso. Em vez da busca por uma verdade última que estaria na origem do sofrimento do paciente, a análise busca hoje colocar sob suspeita justamente aquilo que se apresenta ao sujeito com o peso de uma verdade imutável e que são de fato narrativas construídas acerca de sua história.

[Vídeo] Recado Rápido #13 – Medo do sucesso?

Neste 13º recado rápido falo sobre o medo do sucesso, ou melhor, sobre o medo das implicações do sucesso. De fato, ninguém teme o sucesso em si mesmo, mas algumas pessoas eventualmente se sentem extremamente angustiadas diante das consequências ou da significação inconsciente de seu triunfo. Para se defenderem da angústia, acabam sabotando o próprio crescimento e boicotando suas conquistas.

[Vídeo] Recado Rápido #12 – Fantasias e fantasias

Nossa relação com a realidade é sempre mediada por construções simbólico-imaginárias às quais a psicanálise dá o nome de fantasias. Neste 12º recado rápido, falo sobre dois tipos de fantasias: as produtivas, que nos servem de ferramentas para melhor compreender  a realidade e e se situar nela e as doentias, cuja finalidade é a de possibilitar uma fuga imaginária de uma realidade hostil. Essas últimas tendem a se tornar cristalizadas, rígidas e difíceis de abandonar.